Detoxificação e o planejamento personalizado para um emagrecimento saudável

Seja num restaurante com os colegas do trabalho, naquele programa de televisão que aborda os cuidados relacionados à saúde, em meio aos encontros familiares ou até mesmo entre os frequentadores da academia, você provavelmente já deve ter ouvido falar em “detox”, não é mesmo?

Pois bem: apesar de toda a popularidade do termo, o fato é que muitos ainda reduzem o método a uma forma de se perder peso por meio do consumo intermitente de uma dieta líquida ou do ainda polêmico suco verde. No entanto, trata-se de uma proposta bem mais abrangente, e daí a importância de nos inteirarmos um pouco mais a respeito do assunto, a começar pela pergunta a seguir:

 

Detox ou Detoxificação: do que estamos falando, afinal?

Apesar de ter se popularizado como “detox”, a técnica originalmente chamada de detoxificação traduz o processo de eliminação de substâncias tóxicas do corpo.

Conforme muitos especialistas costumam pontuar, é importante ter em vista que o corpo humano tem a capacidade de realizar esse processo de forma independente; todavia, ele pode vir a se tornar incapaz de eliminar os “maus elementos” em condições específicas, tais como: 1) quando somos expostos a uma alta quantidade de substâncias intoxicantes (é o caso de dietas desequilibradas, pobres em alimentos naturais e ricas em alimentos industrializados), além de produtos químicos, medicamentos e álcool; e 2) quando ocorre a deficiência de nutrientes, o que impede que o organismo efetue a desintoxicação da forma correta.

Para essa desintoxicação natural, o nosso corpo dispõe dos chamados “órgãos de eliminação”: o fígado (que executa todo o processo de transformação, eliminando as substâncias pela bile), o intestino, os rins e a pele. São eles os responsáveis por realizar uma verdadeira limpeza no organismo, de forma regular e – impressionantemente – funcional, sendo que, para cada processo de eliminação, o nosso corpo mantém uma intensa atividade, dividida por diversas e detalhadas etapas.

 

Por qual(is) motivo(s), então, aderir a uma dieta de detoxificação?

Tal como vimos anteriormente, o nosso corpo atua com sincronismo e organização para promover a sua detoxificação; contudo, diante do ritmo acelerado e de outras tantas particularidades que configuram a nossa agitada vida moderna (o que geralmente inclui a nossa adesão a uma alimentação pouco nutritiva), a realização dessa dieta específica vem ganhando destaque como uma opção positiva, uma vez que o seu principal objetivo é auxiliar tanto na otimização do funcionamento do organismo quanto na eliminação das toxinas.

Assim, a detoxificação não se resume à ingestão do suco verde ou à realização de uma dieta 100% líquida. Na verdade, ela compreende, basicamente, duas fases de eliminação. Na primeira, são abarcados itens como carnes, laticínios, glúten, industrializados, açúcar e adoçantes, que demandam um funcionamento intenso do fígado; já na segunda parte, a restrição compreende uma extensa lista de leguminosas, milho, farelo de arroz, ovo, dentre outros elementos da categoria de proteínas e demais compostos que possam dificultar o processo.

Apesar de ser um passo bastante importante, somente a retirada dos alimentos não é o suficiente para eliminar os compostos tóxicos do organismo, de modo que também se faz necessária a inserção de alguns alimentos, nutrientes e fitoquímicos que estimulem a eliminação das substâncias nocivas pelo corpo. Nesta etapa, são incluídos os alimentos nomeados “detoxificantes”, como couve, repolho, couve-flor, brócolis, nabo, rabanete, gengibre, cúrcuma, cebola, cítricos (limão, laranja), alho, aloe vera, dentre outros.

Todo o tratamento costuma durar de 5 a 21 dias, mas o período indicado dependerá das necessidades de cada paciente.

 

Aderir a uma detoxificação pode trazer algum risco?

Apesar de comumente relacionada somente ao processo de emagrecimento, a detoxificação vai além disso, buscando, principalmente, suprir as necessidades nutricionais de cada indivíduo. Por essa razão, é imprescindível compreender que o processo de detoxificação deve ser sempre realizado sob a orientação de um profissional capacitado para identificar a real necessidade do tratamento, por meio da análise aprofundada de sinais, sintomas, exames e, claro, do histórico completo do paciente.

Caso esse cuidado não seja observado, corre-se o risco de expor a sua saúde a diversos prejuízos a curto e longo prazo, além de impossibilitar a conquista de qualquer resultado significativo.

Portanto, se você se interessa pela detoxificação visando à perda de peso ou ao ganho de muito mais bem-estar, saúde e qualidade de vida, consulte um especialista.

Na Corpuris Salus, além uma equipe altamente capacitada, liderada pelo renomado dr. Anderson Bertolini, você também conta com o Protocolo Personalizado de Detox – um tratamento que, sob a perspectiva da Medicina Integrativa e da abordagem ortomolecular, contempla cada paciente como um todo, identificando tanto as suas necessidades físicas, hormonais e/ou psicológicas quanto as possíveis doenças que lhe possam estar associadas.

Na Corpuris Salus, o Protocolo Personalizado de Detox inclui uma análise pormenorizada do quadro do paciente, verificando-se os seus exames laboratoriais e o grau de contaminação do seu organismo, o que é resultante do acúmulo de metais pesados nocivos e produtos químicos tóxicos (para se ter uma ideia, dos 100.000 produtos químicos disponibilizados pelo nosso comércio, apenas 3.500 foram testados e aprovados como seguros para a nossa saúde). Uma vez que esse levantamento tenha sido concluído, a nossa equipe estabelece uma série de condutas e procedimentos destoxificadores, cujos efeitos são comprovados cientificamente.

Para mais informações, entre em contato conosco pelo telefone (11) 4550-1420/1421 ou pelo WhatsApp (11) 9-8348-0349 e prepare-se para se surpreender com os resultados!

Comments

comments

Comments

comments